Estudo indica que ter cachorro reduz risco de morte

9 de outubro de 2019

Por:


Pesquisa associa a presença de um cão em casa com menores índices de mortalidade


Compartilhe:

Diferentes estudos apontam que ter um animal de estimação é benéfico para ambas as partes.

Uma nova pesquisa publicada na revista “Circulation” da Associação Americana do Coração (sigla AHA em inglês) esta semana sugere que ter um cachorro diminui em 24% o risco de mortalidade em humanos, em comparação aos que não possuem o animal de estimação.

Ter um cão é associado, sobretudo, a uma redução de 31% no risco morte por problemas cardiovasculares.

Com a participação de mais de 3 milhões de pessoas, o levantamento foi feito na Austrália; Canadá; Escandinávia; Estados Unidos e Reino Unido.

Além disso, em outra pesquisa integrante da publicação, um estudo específico foi feito na Suécia.

Foi divulgado que tutores que sofreram ataques cardíacos apresentaram um risco 33% menor de morte em comparação aos que não têm um cachorro em casa.

E, ainda, sobreviventes de um Acidente Vascular Cerebral (AVC) apresentaram risco de morte 27% menor.

No entanto, as pesquisas indicam que é possível apenas associar a presença dos animais à melhor expectativa de vida. Dessa forma, não é possível associar diretamente os fatores.

“É o cachorro ou são os comportamentos do dono? É porque você está se exercitando ou porque há uma diferença no tipo de pessoa que tem um cachorro em comparação com alguém que não tem? Eles são mais saudáveis ​​ou mais ricos?”, indaga Martha Gulati, da American College of Cardiology, à CNN.